Mostrando postagens com marcador Catalogo de Bulbophyllum. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Catalogo de Bulbophyllum. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 1 de março de 2013

Catalogo de Bulbophyllum



Catalogo de Bulbophyllum 

Para você orquidofilos neste catalogo tem 240 espécie de bulbophyllum, com foto e nome, que você encontra no Album de Fotos.   http://fotografo-osgomes.blogspot.com.br/










































Bulbophyllum é o maior gênero da família das orquídeas Orchidaceae . Com mais de 2.000 espécies, é também um dos maiores gêneros de plantas com flores , superado apenas pelo Astragalus. Este gênero é abreviado nas revistas comerciais como lâmpada .
Filogenia
Este gênero foi primeiramente descrita por Aubert du Petit Louis-Marie-Thouars (abreviatura botânicos Thouars ) em seu livro "Histoire des plantes Particulière orchidées recueillies sur les trois Iles Australes d'Afrique, de França, de Bourbon et de Madagascar", descrevendo 17 espécies de Bulbophyllum. Existem hoje mais de 2800 registros (nomes aceitos e sinônimos) para este gênero. Esse grande número e da grande variedade de suas formas fazer o gênero um desafio considerável para o taxonomista:. 120 seções e subgêneros foram listados.  O nome científico foi derivado da palavra latina bulbo (lâmpada-like) e do grego palavra phyllon (folha), referindo-se aos pseudobulbos em cima do que a folha está em crescimento.
O centro de diversidade do gênero se nas florestas montagem de Papua Nova Guiné (mais de 600 espécies), que parece ser a evoluçãopátria, que o gênero é pantropical e generalizada, ocorrendo em Austrália , Sudeste Asiático (com mais de 200 espécies em Bornéu), Índia , Madagascar (com 135 espécies, algumas endêmicas), África e no centro tropical e América do Sul . 
Estrutura
As características gerais deste gênero são: single-NodeD pseudobulbos, a inflorescência basal e os lábios de celular. Este gênero abrange uma incrível variedade de formas vegetativas, a partir de plantas altas com cana-de-como hastes, para erradicar os escaladores que vento ou rastejar seu caminho até troncos de árvores. Os outros membros são pendurados epífitas (plantas que crescem em outros), e um grande número que se desenvolveram folhagem suculenta para um maior ou menor grau. Algumas espécies são rupícolas . Uma espécie tornou-se quase sem folhas e usa seus pseudobulbos como os órgãos da fotossíntese . 
Estas orquídeas com uma simpodial crescimento têm rhizomatous hastes com freqüência angulares pseudobulbos . A fina de folhas coriáceas são dobradas longitudinalmente.
Polinização
Muitos Bulbophyllum espécies têm o odor típico da decomposição de carcaças , e as moscas que atraem ajudar na sua reprodução através de polinização .
A ereto ao dente inflorescência surge lateralmente a partir da base do pseudobulbo. A forma de flor tem um plano estrutural básico que serve para identificar este gênero. Mas esta forma pode ser muito diversa: composto ou simples, com poucos ou muitas flores, com osressupinadas flores dispostas em espiral ou em duas fileiras verticais. As sépalas e as pétalas também podem ser muito variadas: reto ou virado para baixo, sem footstalk ou com uma garra muito tempo na base. Elas são muitas vezes peludo ou insensível. Há 2-4 duro e ceroso polínias com stipes presentes ou ausentes. Os frutos são cápsulas beakless. 
Cultivo
As espécies fabulosas e bizarras que compõem este grande género têm sido o foco de colecionadores de orquídeas há mais de um século. As plantas necessitam de alta umidade combinada com boa circulação de ar ea maioria deles têm um hábito sempre florescendo e flor continuamente ao longo do ano. Eles tendem a preferir os níveis de luz moderada, mas não gostam de sombra profunda. Eles são considerados moderados a difícil no cultivo, e exigem um ambiente controlado crescendo para atingir algum grau de sucesso. Eles geralmente não são adequados como plantas de interior, ea maioria não irá prosperar em um caso Wardian a menos que recebam movimento de ar adequado. O hábito de crescimento plantas produz pseudobulbos amplamente espaçados ao longo de cabo-como seções rizoma, ea maioria destas plantas são mais acomodados em placas. Algumas espécies deste gênero podem ficar muito grande, mas a maioria destas espécies são de pequeno e médio porte de epífitas quente, úmido, florestas tropicais úmidas. Eles podem crescer continuamente rodada anos sem período de dormência aparente se forem mantidos quentes e são alimentadores moderados no cultivo e deve ser mantida úmida o tempo todo. Eles podem tolerar secura por períodos curtos, mas eles têm sistemas de raízes finas e preferem condições de umidade o tempo todo. Algumas das espécies menores fazer bem em vasos com substrato de casca de pequeno diâmetro. As plantas produzem raízes muito finas em geral, e as raízes são facilmente danificadas. As plantas não gostam de perturbação de suas raízes. Elas são fáceis de manter uma vez que um bom ambiente é estabelecida com alta umidade e uma atmosfera fresca, flutuante, levemente circulando ser crítico. A maioria dessas espécies são o calor amoroso e não pode tolerar temperaturas frias ou geladas.
As flores produzem vários odores semelhantes seiva, urina, sangue, fezes, carniça, e algumas espécies de aromas frutados perfumadas.A maioria destas espécies são polinizadas voar, e atrair hordas de moscas, mas não todas as espécies neste género muito grande.Bulbophyllum beccarii em flor tem sido comparada a cheirar como uma manada de elefantes mortos e dois esta espécie e Bulbophyllum fletcherianum são variadamente descrito como o que torna difícil para andar em uma estufa em que estão sendo cultivadas se as plantas estão em flor por causa de suas avassalador odores florais.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

cattleya walkeriana x cattleya nobilior




Cat. Nobilior 'amalie' semi album
Cat. Walkeriana rubra
Cat. walkeriana 
          X
Cattleya nobilior  




                                            

   Registro da Cattleya Walkeriana  “Gardner”


            No inicio do século dezenove, em 1917, o mineralogista e pesquisador austríaco, de nome Johan Baptiste Emanuele Pohl, (1782 e 1834), professor de botânica de Universidade de Praga, participou de expedição cientifica, em companhia a duquesa Leopoldina ao Brasil. Realizando pesquisas nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, e Goiás, coletou cerca de 4.000 espécies de plantas que foram enviada para Viena. Johan Baptiste, teria sido o primeiro a velar cattleya walkeriana  para a Europa.
         O medico George Gardner (1812 –1849) apaixonado por botânica, viveu grande parte de sua vida a catalogando plantas  ate então desconhecida pelo mundo cientifico, esteve no Brasil e coletou cerca de 60 mil espécies para o museu botânico da Inglaterra.
         Durante a permanência no Brasil, na província de Minas Gerais e Goiás, autor de vários trabalhos publicados, publicou o livro viagem pelo interior do Brasil, em 1839 coletou a cattleya walkeriana, e providenciou o seu registro em 1843, no London Journal of Botany, volume 2, paginas 662 e 663, onde Gardner atribuiu o mérito de haver encontrado a planta ao assistente Edward Walker, seu acompanhante dos últimos dois anos de viagem.
         Após Gardner, a espécie recebeu também diferentes denominações dadas por outros botânicos o qual prevaleceu o constante no registro e o seguinte: Cattleya walkeriana Gardner, Herb. Fl. Bras. N. 5200, Habitat – no tronco de uma arvore, que se proteja sobre um pequeno racho afluente do Rio São Francisco, depois do distrito Diamantino, Brasil.  



    CATTLEYA WALKERIANA x CATTLEYA NOBILIOR


            Conhecidas como difíceis de serem cultivadas, as orquídeas cattleya walkeriana e cattleya nobilior estão sendo cultivadas em pedaços de madeira para aproximar-se ao modo encontrado na natureza, facilitando assim o seu cultivo.
         Sabendo-se algumas peculiaridades, e possível obter resultado no cultivo, mesmo sem as características de seu ambiente tropical, tornando possível o cultivo domestico.
         Para se conseguir uma boa qualidade de planta e flor, será necessário um ambiente melhor do que na natureza, isto é, por muitas vezes a planta fica dias sem água e os devidos nutrientes que necessitam para um bom crescimento na região do seu habitat.
         No Brasil, existe a época de seca e de chuva bem definidos e também uma grande diferença de temperatura, podendo chegar ao clima de verão durante o dia e clima de inverno durante a noite.
         As orquídeas absorvem grande quantidade de umidade nas épocas de chuva e faz florescer em épocas de seca.
         Comparando com o Brasil, a temperatura do Japão no verão é muito quente, aconselha-se então deixar as estufas abertas para maior ventilação, mas não ventilar diretamente as plantas. Estas orquídeas gostam de muita luz que não deve ser diretamente.
         As estufas com temperaturas de 30 graus e incidências direta de luz através de telado de 50% ou com telado de 40% sobra à planta haverá ainda um acréscimo de temperatura de 5 – 10 graus.
         Observou-se que as plantas com temperaturas de 5 graus acima de temperatura ambiente são propícias para um bom crescimento. Mesmo sendo plantas que gostam de muita luz, a temperatura acima de 40 graus na planta por um longo período acaba danificando as folhas.
A rega é o ponto chave do cultivo. Definindo-se que a época de chuva seja de junho a setembro, devemos dar água neste período em abundancia.  O volume de água devera ser aumentado gradativamente a partir de junho e diminuindo em setembro. De outubro em diante a rega se torna idêntica a outras variedades de cattléya, mas não se esquecendo que o importante é o ajuste da rega com a intensidade do clima daquele ano.  Existe um ponto importante que é a diferença na rega de uma cattleya nobilior  e de uma cattleya walqueriana: as cattleyas nobilior gostam de regas tipo “chuveiro” e as cattleyas walkerianas regas do tipo “imersão”.
         As raízes da cattleya nobilior tem facilidade para apodrecer, quando comparadas com a  cattleya walkeriana, mas não se notando em mudas de vaso até tamanho 2, mas desta fase até o tamanho adulto não gosta que o composto fique úmido  por muito tempo, necessitando assim , que após a rega de “chuveiro” , a umidade seque rapidamente através de uma boa ventilação para que as raízes não venha a apodrecer. Para evitar o apodrecimento, recomenda-se o plantio em placas de madeiras o mais rápido possível.
Caso queira plantar em vaso, será necessário estudar o que utilizar e a maneira de se plantar.
         Plantas em placas apresentam raízes que se fixam nas mesmas e outras que são soltas. Será que existem raízes com funções definidas? Raízes para fixação e raízes para capitar nutrientes?
·        As cattleya walkerianas gostam que o composto esteja úmido, tendo as raízes mais fortes, não sendo necessário replantar em placas com tanta antecedência, podendo até ser cultivada em vasos de barro.
·   
  Plantas em placas devem ter regas  “chuveiro” em abundancia no centro das raízes. Quando apresentar flores, devemos tomar cuidado para não molha-las.
Se perguntarmos qual a melhor hora de rega, podemos dizer que o ideal é quando o sol começar a se pôr. Como essas duas variedades são vegetais do tipo CAM, apresentam durante a noite o seu desenvolvimento e os poros de respiração se abrem, necessitando umidade neste horário.
  De um modo geral, na seca não devemos dar água, mas, se necessário, regamos o mínimo possível. Se pensarmos em seu habitat, a diferença de temperatura do dia e da noite é grande, por isso, será que a umidade desses dias não é maior do que nos dias com pouca chuva? – E essa diferença de temperatura e umidade  decorrente acontece em toda a época de seca. Por isso, concluímos que podemos regar moderadamente mesmo sendo época de seca em seu habitat.
É importante que a regra do dia anterior esteja seca: a observação deve ser feita para controle da quantidade e modo de rega. Por outro lado, devemos consultar a previsão do tempo para verificarmos a condição do dia seguinte (sol – nublado – chuva)
O período do orvalho começa após o pôr-do-sol até o raiar do dia, pensando nisto, na época de chuva ou seca, o horário adequado para as regas é ao entardecer.
Durante o ano todo, podemos regar a noite, com isso possibilitamos àquelas pessoas que só tem esse horário para dedicar as orquídeas. O que é convenientes para as plantas também.
Plantas que foram colocadas em placas de madeiras nunca devem ser regadas logo após o plantio, pois as raízes ainda sensíveis podem apodrecer.
Vendo o habitat de cada planta, a cattleya nobilior é de região constantemente seca durante o dia, enquanto que a cattleya walkeriana cresce em região com bastante umidade.
O cultivo dessas plantas diferentes em uma única estufa torna-se muito difícil, mas tentado-se moderar estes ambientes, devemos criar um clima com umidade relativa de ar no mínimo de 70%.  Essa umidade satisfaz a ambas durante o dia. Durante o dia, concluímos que a umidade do ar deve girar em torno de 20 a 40%.   E suma, a planta necessita maior umidade durante a noite.
  No inverno, as noites esfriam, tornando necessário  elevar a temperatura e manter a umidade no mínimo em 70%. Com estes importantes fatores em funcionamento, as plantas enfraquecidas melhoram, apresentando bulbos vistosos.
               
 

 CLASSIFICAÇÃO DE COR  PARA O JULGAMENTO DE.

GRUPO III  - CATTLEYA UNIFOLIADA: (Walkeriana, Labiata, Warnerii,  Mossiae. Etc )
01  - alba
02 - semi - alba
03 - rosa
04 - roxa
05 - amarela
06 - concolor
07 - caerulea
08   - outra cor

         
*********************************************************************************

GRUPO IV   -   CATTLEYA BIFOLIADA: (Nobilior, Loddigesii. Intermédia, Etc)
01 - alba
02 - semi - alba
03 - magenta - Tipo, sem separação de clara ou escura
04 - rosa - Tipo "amaliae"
05 - caerulea
06 - flâmeas - aquinadas (splash)
07 - outra cor - único grupo